JESUS SUPLICIADO

18/12/2012 18:59

 

Que tal, através da poesia, revivermos um pouco da vida do aniversariante (simbólico) de amanhã?

Este é o convite que o Momentos de Luz nos oferta, reviver as lições de Jesus.

Muita paz e um ótimo dia de natal para todos.

                                                                            

 

JESUS SUPLICIADO

 

Um batista foi degolado

Doze apóstolos teve Jesus

Três eram os supliciados

Nove cravos enferrujados

Quatro pontas tem a cruz

Duas mulheres desoladas

O sofrimento dava pena

Maria mãe e madalena

Dois ladrões mais Jesus.

 

Aos doze anos discutia

Com os senhores da lei

Dos doze anos em diante

Não se soube que fugia

Trabalhou de carpinteiro

Diziam ser um farsante

Mas não era comediante

Falava serio e imponente

Que todo letrado ouvia

 

Aos trinta já era rei

Sua doutrina emergia

Peregrino da boa nova

Alma boa que consola

Batizado no Jordão

Pelo batista João

Que assombrado falava

Sou um pobre condenado

Eis aqui a quem adoro

 

Batizou para dar exemplo

De cumpridor da velha lei

Ele só queria ser rei

Do coração das criaturas

Pregou por todos os cantos

Não tinha luxo nem mantos

Só humildade e candura

Que lhe trouxe desventura

E vida de desencantos

 

Depois de muito pregar

De deixar o clero aflito

Pois todos seguiam Jesus

Desde Roma ate o Egito

Pelas terras de Israel

Pregando em suas andanças

Deixou marca indelével

Nas suas bem aventuranças

Voz mansa feita de mel

 

A páscoa se aproximava

A capital fervilhava

De gente de todo canto

Lavrador, pedreiro e Santo

Todos vinham para rezar

Não faltaria Jesus

Que mantendo a tradição

Viera para oração

E secar do pobre, o pranto

 

Vendo que o templo estava

Transformado em mercado

Deu seu grito desvairado

Quebrando banca e vidro

Desgostou os vendilhões

Em conluio com os vilões

Armaram sua vingança

Insuflando as multidões

E trata-lo como bandido

 

O povo hipnotizado

Por manobras dos ladinos

Transformando o povo manso

Em brutos e assassinos

Escolheram pela emoção

Pois queriam uma nação

Barrabás queria guerra

Jesus amor, dignidade

E mansidão sobre a terra

 

Confrontado por Pilatos

E com o venal Caifás

Depois de muito mau trato

Reviraram sua vida

Com o de adiante para trás

Como nada encontraram

Juntado com um bandido

Para libertar na páscoa

Escolheram Barrabás

 

Trinta e três anos de idade

Encantara Jerusalém

Foi a serviço do bem

Montado em humilde jegue

Sua humildade seduz

A partir daí o persegue

A casta de sacerdotes

Para não perderem seus dotes

Mandam prega-Lo na cruz

 

ACA

Facebook Twitter More...